sexta-feira, 15 de junho de 2007

num grito tentei não dizer mais nada
desimportante que era
chegava de amor
chegava repetitivo
chegava sem festa
ficava sem roupa
num grito tentei não dizer mais nada
fala mansa, moça braba, sono solto

7 comentários:

Carola Richardson disse...

Priss... você conhece aquele idiota?
pelo seu último comentário no blog dele, parece que conhece...

Claudinha disse...

Olá Priscilla.

Vim conhecer seu blog, gostei do título e dos textos que li. A sua poesia é escrita com alma, coisa que pouca gente consegue entender. Quem se sobressai incomoda, quem tem talento causa inveja. Continue assim a assoprar formigas (adorei esta) em suas paranóias cítricas e a nos inspirar também.
Beijo, voltarei!

Feliz disse...

amei! (como sempre!)

Isabella Kantek disse...

É, também adorei ... semana ruim essa a minha.
Beijo!

imo disse...

Bela poesia.

celle disse...

adorei!!
Bem a sua cara!!
TE AMO...minha eterna amiga!!

Tozé Franco disse...

Queria manifestar-lhe a miha solidariedade em relação aos ataques do Dr. Caturra. Ele há cada um...
Gostei do blogue.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...