sábado, 9 de junho de 2007

Nem tão ao norte, nem tão ao sul

Feriado. E feriado santo! Fui ao shopping resolver problemas bancários, ver a vida, ver as pessoas. Refletir. Porque sempre reflito muito quando estou sozinha e caminhando. Tanto que, quando chego em casa, agradeço aos céus por poder conversar com outra pessoas além de mim que, à passinhos por dia, me torno minha pior e mais insuportável companhia.
Lá em cima minha mãe ri com o Jô Soares; já não lhe acho graça. Enfim...

Ida
Uma caminhada até a metade do caminho para pegar o ônibus. Sim, há um ônibus que passa em frente à minha casa e que vai para o shopping, ou melhor, uma van (perua, besta, kia) que vai para o shopping, mas o preço é tão absurdo, mas tão, que não pago, não mesmo; R$1,80 (92 cents, pela cotação de hoje). Ando a pé metade do caminho (Argel) para tomar o ônibus de 0,55 centavos (cerca de 28 cents) e iria tranquila se meu salto alto não estivesse quebrado. Sim...ele estava quebrado antes de'eu sair de casa, tentei lhe colar uma borracha mas esta desintegrou-se após uns 20 passos. Tudo bem. Ouvia música... Acho que ouvi Don't smoke in bed (Nina Simone) umas 5 vezes (esta postagem está cheia de números, estranho). Depois de uma demora absurda, chegou o tal ônibus, finalmente. Cheio o shopping. Impressionantemente cheio. Entrei na primeira loja de departamentos. Corações! Oh! (fiz um "oh" mental) Era dia dos namorados. Essa semana é a semana do dia dos namorados. Corações, muitos corações. O supermercado construiu uma prateleira imensa ornada de champagne e pro-seccos. Não dei bola, fui procurar bebidas (vodka em promoção), batata-frita... depois à loja de eletrônicos: um microfone, à loja de animais: roupas de frio e sapato para meus cãezinhos, banco: tirar dinheiro.
Fui buscar meu cartão da loja de departamentos. Pegar senha..aguardar... a atendente era uma versão indígena da Björk, usava sombra verde nos olhos. Ela falava comigo e eu insistindo comigo mesma que estava conversando com um elfo. Não queria um namorado, queria alguém pra quem falar mal da Digest Readers. E o elfo então disse que a loja estava diminuindo o limite do meu cartão. Senti meus olhos enchendo d'água, meus olhos metafóricos, meus olhos fúteis... explicava: a senhora demorou demais a efetuar os últimos pagamentos... mas (o mas), à medida em que for pagando na data correta, nós aumentaremos novamente seu limite. Pensei: mas não dá pra comprar um par de sapatos! ou Mas só dá pra comprar um par de sapatos! Eu precisava de um cinto. Queria um namorado... pra vestir um espartilho, não um espartilho desses exuberantes, mas um que disfarçasse as gorduras localizadas - muito mal localizadas, importante frisar. Agradeci ao elfo e fui embora. Hora de experimentar peças. Entrei na cabine; meu deus... como eu consigo andar tão má vestida? E o salto ainda quebrado, cada passo que eu dava era um som oco e outro metálico, indiscritível. Só Douglas Adams conseguiria descrever o som de um galho de metal arranhando num piso lisíssimo de shopping center. Eu não ligava para o dia dos namorados, mas queria comprar um pijama rosa. De corações. Nada de encontrar um cinto. Comprei um belo chapéu bege na feira à preço baixo. Depois voltei novamente à pé por Argel.

A conta
roupa de inverno para o Muhammad..R$12,00
sapatos azuis para o Beethoven ....R$9,00
hear phones ......................R$10,00
microfone .........................R$7,00
porta-cd .........................R$10,00
chapéu engraçadinho ..............R$10,00
chocolates dietéticos .............R$3,00
pagamento da internet doméstica ..R$15,00
vodka 7% ..........................R$7,00
batata-frita.......................R$5,00
total____________________________R$119,00

que horror!!!! nunca deveria ter feito essa soma, essa racionalização de gastos.... que pessoa sem sabedoria. queria um namorado pra absolutamente nada, pra tudo.


rememberâncias
eu conto à ele e espero que surja alguma centelha de ciúme nos olhos, uma crítica, um desagrado... nada! ele não se importa, compreende, aconselha, consola... e isso me arrasa. é o pior.

a sua mulher me contou... é verdade? é. eu não sei o que eu pensei... agora percebo que fui estúpida. disse algo como, eu quero ajudar, eu te adoro, ainda somos amigos... ele parecia arrasado. conversa. numa outra vez ele me deixava na porta de casa e eu dizia, engraçado como parece que posso te beijar a qualquer momento, ao que ele respondeu: mas você sabe que não tem nada a ver. lembro que fiquei gelada por dentro. de pavor. de estranhamento.

eu a abracei. o ônibus ia embora, ia partir, estava na sua hora mas eu... abraçá-la. você é a pessoa que eu mais amo no mundo. lembro que chorei e ela também. o ônibus precisava ir embora, a hora. você é a pessoa que eu mais amo no mundo, por isso eu prefiro que você vá. eu sei, ela disse. e chorou também muito comigo. minha pequena. foi o divórcio; na sua ausência dói quase nada.

achei o chapéu tão bonito. só há paz nos meus cachos... olhos pros cachos balançando quando abaixo a cabeça e bate sol, bate sol e os cabelos ficam em tons avermelhados. da antiga tintura.

8 comentários:

Taty Siqueira disse...

Qual a sensação de falar com um elfo??
kkkkkkkkk
Sou sua fã!!!
Taty

Priscilla Santos disse...

é uma sensação estranha... mas agradável.
obrigada, taty! rsss

Ana Luiza Paes Araújo disse...

Caraca Pris! to com inveja dessa sua expedição. O texto ficou muito legal.

Des[Construíram] disse...

Não sei porque te contei aquelas coisas. Tive uma necessidade desmedida de contar, eis tudo.
Essa é minha vida, moça. O que salva é que a música é boa. Sempre.



"as fotos antigas são mais eternas. As fotos digitais são efêmeras."

Isabella Kantek disse...

Números... dizem que são inimigos das letras. Sei, não sei.

Allan disse...

É DISSO Q EU TÔ FALANDO!!!!!
É desse tipo de postagem q eu tava sentindo falta no seu blog, algo menos poético e mais cotidiano, uma coisameio "novela do Manoel Carlos", rsrsrsrs... Tava sentindo falta do normal no seu blog!
Faça mais textos assim, adoro ler esse tipo de texto seu!
E eu tbm adoro caminhar, adorei saber q temos mais isso em comum! Caminhar me relaxa e eu gosto mto da minha companhia _ preifor sempre caminha sozinho, comigo memso sou mais "eu mesmo", entende? Vc é uma ótima companhia tbm, deveria dar mais valor À essa disponibilidade de estar consigo mesma!

E à menção ao dia da rodoviaria... Só faltei chorar!

Priscilla Santos disse...

anainveja?? de que, gente?! hahaha como tem gosto pra tudo...

des[construiram] as fotos eternas são mais antigas. as efêmeras: todas digitais.

kantek eu não sei lidar com eles.... mas queria conseguir usá-los melhor nos texxtos. acho que dá samba.

allanbad news: a tendência é esse tipo de texto ser a menor parte do blog. porque esse espaço acabou se virando o lugar pra onde meus pensamentos correm...e de onde meu cotidiano some. ele não é a prioridade, não sei como fazer sê-lo, não sei se quero também... mas curto o conjunto. mas, olha, tudo o que tá aqui é ficção, posto que real e real, posto que ficção completa. obrigada :)

Anônimo disse...

Genial post and this post helped me alot in my college assignement. Gratefulness you on your information.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...