sábado, 23 de junho de 2007

Deux fois, deux dames (danse)

le fox
Nada foi ofensa... invejei teus sabonetes desde o primeiro dia. Desde o dia em que seu telefone tocava na bolsa mas você não estava e eu fiquei apavorada de ter de mexer nas suas coisas e desligá-lo. Depois você berrava nos corredores de pedra e ferro: não quero seu dinheiro, quero você! E fiquei impressionada com seu fôlego e roteiro. Hoje você acha que foi ofensa e tudo o que eu fazia era invejar os teus sabonetes enquanto conversávamos sobre o frescor que eles te trazem (mesmo que frescores somente prometidos pelos fabricantes)... Tenho nutrido sempre os sentimentos mais díspares, num afasto e outro que quero por perto. Talvez porque você me confunda, talvez porque você me veja demais, mais do que deveria e assim me conhece.. .você não deveria ser das pessoas que me conhecem e isso me assusta. É diferente, é igual... é desejada e eu invejo... é desajeitada e eu me preocupo... está aqui mas não deveria. Tão fora de lugar. Hoje comprei um difusor porque quero cachos assim como os seus, onde há paz e onde, ultimamente, há aquele rapaz irritante de quem gosto tanto. Fora de lugar Isabelle. Te adoro d'um susto que me faz gritar chorando, dormindo.

le waltz
Mas ele tem toda a razão... roubo as palavras. É que me parece que poucas coisas vão ser mais incríveis que virar uma rua e ouvir meu nome gritado, você de azul, eu de chapéu de palha, as ruas de paralelepípedo e tanta gente que, como é que você me achou? Também capuccino. Conheci a Flávia em baixo da cúpula do Centro Cultural e tomamos capuccino com você pagando (falida, falida...). Desde então foi isso... O dia na praia foi o inesquecível para melhor, o inesquecível pra pior foi quando eu fiz você se perder de carro à noite e ele, novamente, teve razão: Priscilla precisa de um GPS. Fiquei atarantada aquele dia... mas não quero falar disso. Na verdade, não quero falar de nada. E a peça com o Werner Schünemann de cueca(??) (risos) (vírgula) fiquei constrangidíssima! E a parte em que ele se declarava pra namorada "ah, essa é a minha garota... de programa!". E também a peça do Sérgio Brito em que você dormiu! Tinha aquele bilheteiro lindíssimo que achávamos que estava olhando pra nós mas, na verdade, estava olhando para o meu amigo com quem havia tido um caso (caso com o bilheteiro). Conhecemos um farol e lá em baixo no precipício tinham casas que pareciam que iam cair, mas não caíam. Numa outra vez, embaixo da mesma cúpula, eu paguei o capuccino e fiquei tentando entender o porque diabos você queria ser minha amiga. Daí te amei (já amava desde que você se ofereceu para comprar os ingressos pra peça do Michel... que louca! chuva, Copacabana... você se ofereceu pra comprar ingressos para mim e nem me conhecia). Daí ele apareceu e te amou também. Não tenho ciúmes, vou cantar: i know you love her.. i love her too, i know she likes you. Aquele dia na praia foi um dos dias mais felizes que já tive, porque na noite anterior eu tinha desaparecido de mim mesma.

contradança
você me tocando e me dizendo no ouvido pra eu ficar bem quietinha porque você ia fazer passar... escrevo meu sonho pelo mesmo motivo de poesia, por vertigens (por giros dos girassóis). eu sou só um in-vento que leva embora dezenas de nuves que te passaram aos olhos, te-livro, encanto num canto (90º parede e parede). se você diz, chega logo verão, então serei-a. tua sereia. numa felicidade dança e se diverte... fico bem quieta (o ar pára para passar pela boca) ... moço, passou - que só há paz nos meus cachos. apareceu só pra me roubar (o tempo verbal) (ponto) roubei-lhe então os poemas. re-tive-os. se se deu conta não sei... mas sentia falta dos nossos passeios e divagações em comum. incomum.

6 comentários:

Bruno disse...

Irritante é a TPM que me bloqueia.

imo disse...

Não sei se gosto da maneira a qual escreve ou do conteúdo das suas publicações. As vezes gasto um bom tempo lendo e nem sempre me fazem sentido, mas na maioria das vezes me fazem pensar. Seja no motivo que a levou a escrever, no texto em si, nos personagens, no porquê de eu estar tentando entender.

Talvez o fato citado nem seja mérito seu, mas sim da minha curiosidade enquanto leitor e aí se encontra minha admiração. Por mais simples e banal que possa ser, foi você que me fez pensar dessa maneira.

Isabella Kantek disse...

Você é muito arteira e quando fica quietinha, mesmo que o sinal esteja verde, já sei o que está fazendo...

Então você tece as palavras numa necessidade visceral que eu gosto. E admiro. E na minha mente uma teia de pensamentos (novos e antigos) flutua.

Beijo!

Priscilla Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscilla Santos disse...

adendo.

me detesto
pra cada dia
pelo que faço, não faço
fiz, espalhei e estraguei
todo segredo é pra ser mantido atrás da boca,
mas então nos ás vezes ele me escapa
escapa sempre
e se desmancha o que eu tinha guardado em adoração, [em] turvo
quero meus minutos inalcançáveis no altar, inacessíveis de mim que
descuidada
rasgo sempre a opa

Van disse...

Menina.... Você é genial!
Não consigo sair daqui. Acho bom vc produzir bastante pra não faltar material pra eu ler. Pode dar abstinência, sabe como é!
Beijuca - bons sonhos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...