quarta-feira, 23 de maio de 2007

Cuidados na volta para casa

Minha Musa não é como ninfa
Que se eleva das águas - gentil -
Co'um sorriso nos lábios mimosos,
Com requebros, com ar senhoril.

Nem lhe pousa nas faces redondas
Dos fagueiros anelos a cor;
Nesta terra não tem uma esp'rança,
Nesta terra não tem um amor.

Como fada de meigos encantos,
Não habita um palácio encantado,
Quer em meio de matas sombrias,
Quer à beira do mar levantado.

(...)

(Gonçalves Dias)

A pé
1. colocar um casaco, se for noite;
2. passar com cuidado pela calçada do cemitério por causa das baratas;
2.1 caso escolha outra calçada, tomar cuidado com o lixo do supermercado que escorre até a rua;
3. fechar os olhos ao passar em frente à barraquinha de batata-frita;
4. andar até o meio da rua se o bar, no meio do caminho, estiver muito cheio evitando gracinhas dos moços frequentadores;
5. andar até o meio da rua, perto de casa, para desviar dos ratos;
6. estar com as chaves do portão e
7. cumprimentar as pessoas que estiverem na portaria (se houverem pessoas lá).

De ônibus
1. estar com um livro ou texto em mãos para a viagem;
2. ter o dinheiro certo do preço da passagem - para evitar que o motorista fique muito tempo contando o troco;
3. atravessar assim que saltar do ônibus evitando assim o pessoal da barraquinha de milho-verde verde, sempre de deboches;
4. estar com as chaves do portão e
5. cumprimentar as pessoas que estiverem na portaria (se houverem pessoas lá).

4 comentários:

Ana Luiza Paes Araújo disse...

O poema é lindo.
O meu limitado entendimento não me permitiu fazer a conexão entre ele e os conselhos práticos sobre a volta para casa - que são ótimos, por sinal - apesar de saber que você deve ter uma explicação brilhante e invejável para tal.
A vida é assim...
hauhauahua

Priscilla Santos disse...

sim Ana.. lembra daquela aula do Dezemone em que eu disse: "meritíssimo, eu tenho um propósito!" quando ele achou que o que eu estava falando - o efeito borboleta - nada tinha a ver com o assunto da aula - Lefevre - lembra? pois então, repito: meritíssima, eu tenho um propósito.
o poema do Gonçalves Dias tem como personagem central essa musa que transita tanto nos lados iluminados da natureza quanto nos obscuros e que nada tem a ver com entidades gregas belíssimas.
Então, peguei as características dela emprestadas pra colocar nos meus dias. Porque há muitos ratos e perigos no Paraíso.

obrigada, beijos

Feliz disse...

"Porque há muitos ratos e perigos no Paraíso."
kkkkkkkkkkk

Priscilla! Sempre brilhante essa Priscilla!

Nesta terra não tem uma esp'rança,
Nesta terra não tem um amor

...e esta terra continua a mesma...
Em paraísos, em matas sombrias ou à beira do mar... tome cuidado com os ratos!

mas tudo bem pris... a vida é assim!

Rato disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...