terça-feira, 24 de julho de 2007

não alimente os animais
caríssimos,

(... havia algo aqui, mas não gostei e apaguei. não considerem)

mas, já que falei de cristandade, esses dias encontrei umas anotação na caderneta da igreja, tinha essa pergunta: o homem tem um espírito imortal? intrigante...

passante
há umas certas formas que tudo toma que me deixam sem nem pensar em nada, nem dá vontade de escrever. fui eu deitada de bruços ouvindo fado, pensando em alho queimado. daí agora tô surpresa de descobrir que, nisso tudo, nesses traços todos que o relógio tem e que passaram, que não me lembro mais da sua voz. lembro de você (da voz não, nem no ouvido) e de que você não era bonito, mas que eu te imaginava como as palavras que hoje escrevo aqui mornas, pensando nos filhos que terei com esse meu rapaz (ele foge deonde o caos me colocou). louca, arrasada, enciumada e esquecida assim tão calma alegre da sua voz. tudo que eu te queria era também ter versos meus, de amor. mas isso não te conto não! esquece já, nem lê!

esquecida
tanto de mim que só...

8 comentários:

Ana Luiza Paes Araújo disse...

Quero comentar logo o primeiro parágrafo, antes que você o apague. É incrível como as coisas sem sentido fazem muito mais sentido que se tivessem sido escritas para fazer sentido.
Acho que eu não disse coisa com coisa,ou coisa sem coisa. Apague o comentário se quiser, vou entender.
Acho que não devo escrever nada depois do almoço!

chulapa disse...

show de bola o seu blog, seus textos sao d+.parabens, continue assim..t+

Mulher Aspirina disse...

E a sopa de letrinhas???
Rsss...
Beijocas.

*Mr. Tambourine* disse...

Agora to curioso para saber qual parte você apagou....
huahuahuahuhuahuhuahuauhahuahuahuah


Bonito texto!
Interessante o recurso que você usou para descrever a voz do seu rapaz. Afinal, você não lembra mais dela, mas sabe que ela te acalma e a deixa alegre.

Ah, e o caos é uma fase boa!! A Deusa Eris me ensinou como podemos aprender quando estamos vivendo sobre a regencia dele!
huahuahuahuahuahuahuhauhuaa

Van disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Van disse...

Oi, Limãozinha querida......
(uia a intimidade, heim????)

O tempo apaga tudo! Mesmo aquilo que a gente não queria esquecer. Se bobearmos e fecharmos os olhos, os ouvidos... Se o pensamento ficar vagando entre alhos queimados e fados, uma voz se apaga da memória. Mas não é assim que tem que ser? O velho dando passagem ao novo? Se tudo ficasse guardado, não haveria espaço para o novo. Simples assim!
E os teus versos são sim, de amor... Disfarçados de nada, mas no fundo, são de amor.
Como sempre, adorei!

Comentar teus posts são só pleonasmos!!!!!

Beijuca

Wolverine Logan disse...

Passa lá no blog que tem um convite pra você participar de um MEME

Isabella Kantek disse...

O homem tem um espírito imortal e o corpo é passante? E estão nos sentimos só, esquecidos nessa vida que levamos?

Essa foto me lembrou de um Feast Instantâneo que escrevi. Algo assim:

Aqueço minhas idéias no microondas. Sopa de letrinhas para o almoço.
O caldo ralo da minha existência.
Experimento, acho que falta sal e Nelson Rodrigues. Mordo minha língua e o sangue que escorre é pardo.
A sopa tem cor e um gosto de pecado. Minhas idéias, agora, aquecem as minhas entranhas.


Tão bom passar aqui. Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...