quinta-feira, 26 de julho de 2007

dia perfeito

eu e você dados nós amarrados, em montanha, folha e máquina velha maquinando a maquinação do que fazer dos nossos dias de suspiros e letras que chovem consecutivamente sem vírgulas pelo guarda-chuvas e pelas bicicletas estacionadas. daí abri teu livro e [randômico] o cachorro bateu as patas na minha testa, daí corremos atrás do doug e a chuva, mas ainda fazia muito sol. e fazia sol que acordei com ainda música gramofônica. mas aí acordei de patas na testa e insistência pra passeios. acordo assim de abrir livros e descobrir nosso sonho que quase achei você de verdade, mas não. e das horas que passam ficam sempre meio dia com sol e vento se chuva rua. rio! casa pra varrer, pano pra passar, pano passa[dor]. a casa limpa e o pão da padaria, corre lá buscar. café, leite, morno, mamãe e filme. mamãe dorme na metade e eu assisto a menina que perdeu o vestido novo pendurado na árvore (tudo por causa do sapo gigante). espreguiço num julho meio frio e compromisso que não tenho: sábado, domingo, terça é feriado e segunda enforca. espreguiço no julho meio frio e à 7,7% de teor etílico tenho eu sozinha acompanhada pedinte, faltante, de-mente de você. daí "oi moça" e meu pai viajou pra bem longe. quando voltar a chover refaço percalços, perfeição, das minhas palavras com que nunca costumo, nem épocas inteiras que cada um lê e é como quer que seja. de mim pra que? aceno pros assíndetos, voltar a dormir, teimar de nua, cobrir, rosnar se espero ser na campina muito tua e cantarolar pelas luas de minha e só.

--
meme proposto pelo gentil
mutante de Wolverine Reponde

o repasse: proponho o meme à
1.
Isabella Kantek do Desmemorium. minha querida, espero que você o reabra com esses pensamentos de palavras que voam como se a gente tivesse assoprando aquela flor em forma de bolinha. espalhados...

e

2. à Flávia Tornatore do Boas Maneiríssimas Maneiras. Hmmm... um desafio à sua linha editorial!

9 comentários:

david santos disse...

Olá Prescilia!
Não venho aqui não para comentar o teu texto. Venho-te dizer para escreveres como muito bem entenderes tudo que te ocorra, desde que gostes e penses agradar aos outros.
Quanto às críticas que te fazem, elas nunca podem sair de pessoas que tenham uma formação capaz de te criticar. Porque se assim não fosse, as críticas teriam objectivos muito bem definidos: ajudar.
Talvez eu não seja a pessoa ideal para estar a fazer este testemunho. Mas, sou de certeza, pessoa que sabe do que fala.
Nunca repares em críticas perniciosas de pessoas perniciosas. Pessoas que ao saberem muito pouco ou nada, passam a vida a falar do português, que por acaso é aquilo de que eles menos percebem. Ou então andam a complicá-lo ainda mais do que aquilo que ele já é. O português, claro.
Escreve como souberes e gostares; e quem quiser que vá ler para outro lado. Professores doutores! (...) PARA TANTOS PROFESSORES DOUTRORES. Aliás, se eles o fossem, teriam mais vergonha naquilo que dizem e, por acaso, tão mal dito.
Parabéns.

Ricardo Rayol disse...

Muito legal a forma que joga com as palavras. Gostei muito.

Wolverine Logan disse...

O gentil mutante agradece a resposta e a disposição, mas não farei outros comentários pois esse texto é pra ser tão somente apreciado.

david santos disse...

Priscília, eu não fiz aquele texto com o objectivo de te defender. Nada disso. Aliás, nem tu precisas que te defendam.
Eu fiz aquele texto com um objectivo: quem sabe ensina, quem não sabe, tenta aprender.
Porque quem "sabe" e não ensina, não sabe.
E quem não sabe nem quer aprender, "ensina". Para esconder a ignorância, a maldade, a arrogância e tudo o mais que não presta. Conheço muito bem esse tipo de (...).
Gosto muito do teu trabalho, sabias? Pois podes ter a certeza que gosto.
Sempre que façamos as coisas pensando ser o nosso melhor, não há melhor: é franco, é honesto, no fundo; somos nós. E isto, para mim, é muito importante.
Não quero voltar a falar deste assunto. Contudo, garanto: estou contigo e com todas as vítimas desse tipo de (...). Pois sei muito bem o que isso é. Embora por outros motivos: comentários anónimos e outros feitos em meu nome, bem, não importa.
Agora, e por último, convido-te a ir ler o meu comentário no Prof. Dr. Se é que ele ainda não o apagou. Eu gostava de lá voltar, mas já não sei os caminhos. Pois gostava de ver se ele teria ou não apagado (particípio passado), a orquestra que lá lhe deixei.
Se souberes, diz-me. Talvez eu lhe arranje mais algumas.
Bom fim-de-semana
Peço-te uma coisa: sempre que saibas, ensina. Sempre que não saibas, tenta aprender, mesmo perguntando a quem sabe, como eu faço vezes sem fim.

Solidariedade, abraços.

Van disse...

Pri.....
Lá vou eu.... Pleonasmo puro e solto!
......................................
Pleonasmo! Pleonasmo! Pleonasmo!

Beijuca

*Mr. Tambourine* disse...

Muitas ações e poucas linhas.
Show!
Parabéns!

alex pinheiro disse...

O dia perfeito pode desenhar uma semana toda,,,
Gostei das palavras e devaneios,,, Amo devaneios!

Bjs e memes inventados!

david santos disse...

Há-de dar-me dados que me voltem a levar ao blogue dele. Pode ser por esta via ou por Email, para mim é a mesma coisa. Não ando nisto para esconder nada.Por isso, caso o obtenha, mande-mo, por fvaor.
Abraços e muito obrigado.
Ah,e bom fim-de-semana

Isabella Kantek disse...

A leitura foi de uma corrente de vento presa no peito. MA-RA-VI-LHO-SO! (mais um para a minha lista de favoritos)

O meme es†á quase pronto. Obrigada, viu?

Bisous

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...