quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Encontro (enquanto me perco)

infinidade de finitudes
das que se viram pro lado, acende cigarro ou não, pra refletir agora ou ir ao banheiro (e eu me achando linda entre a cama e o espelho). ou é fim em dentro de braços. fim de velórios longos, ou curtos, ou cheios ou daqueles que você estava passando na rua (lembro quando me contou essa história) e tava lá aquele seu amigo. como? e você nem soube, não tiveram tempo de avisar. ou fim nos você é especial. nunca quis ser especial, só sempre. às vezes é em gritos, em coisas largadas por todos os cantos, quebrando, e aí é fim, até em ameaças de se jogar do quarto ou terceiro andar (até do térreo! vá entender impulso d'humana compreensão?, perguntou o poema da escola). fins coletivos. todo mundo morre sozinho no figurado. todo espaço implora por uma presença mas, penso, e não tem presença que não vai virar depois de novo espaço. eu passo... me estendo no chão, no meio da rua, espero que alguma coisa, qualquer coisa, surja OVNI - o próprio OVNI serve. observo esperando a cerveja descongelar. é necessidade, é espaço demais e quero não. agorafobia. sou infinda a cada traço que passa - pulos do coelho (atraso!) - transbordo, aos infinitos, término. depois do ponto final... que voltam.

recôndito intento
bebo escondido, como escondido. são pudores. pudores do vício.
caríssimos,
como e bebo escondida! e [quase] ninguém vê.

e vêm já as lembranças. de muro de cerca viva de dia de sol dos doze anos e o velho/cara: você vai pôr o biquini? ... porque estou louco pra ver suas pernas. daí saí de casa agora e não sei mais o que aconteceu. eu lembro escondido. encontros estranhos, falas estranhas, não estão mais em mim... se falam, tocam, suspiram. estranho.

à ana luiza sobre o povo burro (ou Um Engano Teu)
nada melhor que uma população esquizofrênica pra um governo fágico.

6 comentários:

Isabella Kantek disse...

Oi! =)

Volto mais tarde e menos zonza para ler como se deve porque do que eu consegui ler, gostei demais.

Van disse...

Saco!
E preciso comentar algo além do que eu comento sempre????? Você está cada vez melhor!
Beijuca

Ana Luiza Paes Araújo disse...

tens toda a razão, Pri.

Isabella Kantek disse...

sem comentários ...

"fins coletivos. todo mundo morre sozinho no figurado. todo espaço implora por uma presença"

...

bruno disse...

sempre me emociono quando vc faz alguma referência a meus links, vida, pessoa...

apareça mais vezes, de unha cortada. Vamos arranhar algumas notas.

Cadinho RoCo disse...

Pra descongelar a cerveja, toda hora é hora.
Cadinho RoCo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...