sexta-feira, 30 de maio de 2008

drops roubados

porque caboclo escrevedor também merece férias
(kantek em: e não me surpreende o limão estar um pouco "largado")

e... drops roubados
dormindo menta-lizando balinhas
(j. stanzani)

passa o destino

pela menina

dos olhos

do menino
(b. cabelo)


Abatidos pelo fadinho harmonioso e nostálgico dos desterrados, iam todos, até mesmo os brasileiros, se concentrando e caindo em tristeza; mas, de repente, o cavaquinho do Porfiro, acompanhado pelo violão do Firmo, romperam vibrantemente com um chorado baiano. (...) Assim à refulgente luz do trópicos amortece a fresca e doce claridade dos céus da Europa, (...) Jerônimo alheou-se de sua guitarra e ficou com as mãos esquecidas sobre as cordas, todo atento para aquela música estranha, que vinha dentro dele continuar uma revolução começada desde a primeira vez em que lhe bateu em cheio no rosto, como uma bofetada de desafio, a luz deste sol (...)

E viu a Rita Baiana, que fora trocar o vestido por uma saia, surgir de ombros e braços nus, para dançar. A lua destoldara-se nesse momento, envolvendo-a na sua coma de prata, a cujo refulgir os meneios da mestiça melhor se acentuavam, cheios de uma graça irresistível, simples, primitiva, feita toda de pecado, toda de paraíso, com muito de serpente e muito de mulher.

Ela saltou em meio da roda, com os braços na cintura, rebolando as ilhargas e bamboleando a cabeça, ora para a esquerda, ora para a direita, como numa sofreguidão de gozo carnal, num requebrado luxurioso que a punha ofegante; já correndo de barriga empinada; já recuando de braços estendidos, a tremer toda, como se se fosse afundando num prazer grosso que nem azeite, em que se não toma pé e nunca se encontra fundo. Depois, como se voltasse à vida, soltava um gemido prolongado, estalando os dedos no ar e vergando as pernas, descendo, subindo, sem nunca parar com os quadris, e em seguida sapateava, miúdo e cerrado, freneticamente, erguendo e abaixando os braços, que dobrava, ora um, ora outro, sobre a nuca, enquanto a carne lhe fervia toda, fibra por fibra, tirilando.
(a. de azevedo,
para o meu rapaz e seus olhos de Velho Mundo
- porque sou cabrocha do seu samba, de flor nos cabelos e beijos sem decoro)


e uma questão de riddle

riddle 1
Noun
1. a question, puzzle, or verse phrased so that ingenuity is required to find the answer or meaning
2. a puzzling person or thing

Quanto ao meu comentário na tua publicação anterior, obtive a pista com essa expressão "my knees got weak".
(l. em surtar,
via comentário)


torta de limão diet

ingredientes
● 1 xíc. (chá) de farinha de trigo da Dona Benta
● 3 col. (sopa) de margarina light-luz
● 1/3 do pote de iogurte desnatado (3 colheres de sopa)

para o que vai dentro
2 gemas
6 envelopes de carta de adoçante à base de sacarina
3 col. (sopa) de suco de limão
1 xíc. (chá) de leite desnatado
1 col. (sopa) de amido de milho
1 col. (chá) de vanilla
1 col. (sopa) de raspas de limão expresso
4 claras brancas como a neve


modo de fazer

1.
Misture a farinha de trigo com 2 colheres de margarina light (ou lux). Adicione o iogurte e misture bem segurando o pote embaixo do braço, colher de pau. Leve pela mão à geladeira por 30 minutos.
2. Abra a massa em uma forma redonda de 25 cm de diâmetro, perfure-a com um garfo e leve ao forno preaquecido em temperatura alta, cerca de 10 minutos, até dourar. Deixe esfriar.


Para o recheio

1. Bata as gemas com o adoçante, o suco de limão e o restante da margarina. Acrescente, aos poucos, o leite com a maisena dissolvida e as raspas de limão.
2. Prepare um longo suspiro misturando, delicadamente, as claras em neve de até cobrir o chão com 4 envelopes de adoçante à base de sacarina e suco de limão.
3. Despeje o creme de longos suspiros, talvez agora entrecortados, sobre a massa e leve ao forno baixo por cerca de 30 minutos.


informações poéticas

proteínas: 4,5 g
carboidratos: 13,7 g
gordura: 4,1 g
colesterol: 59,4 mg
fibras: 3,8 g
culpa: zero

2 comentários:

Lerdo em Surtar disse...

A mensagem, por ter sido publicada, alcançou a esfera de uma quase-poesia quando nela detectaste inteligência.
...
E também, revigorada a mensagem com a tua poesia - com que (de forma a causar ciúmes) teces homenagem a outro intérprete dos teus versos -, em inglês fez bonito e afasta assim o equívoco dos falsos cognatos.
...
A receita é nutritiva!

Isabella disse...

Hahahahahaha, ai ai Prillirante...

Se o falecido Desme alguma fez tivesse ficado largado assim (tao esfera poetica) eu comeria doces todos os dias.
No ultimo mes fecundo mandarei uma foto minha comendo algum doce decadente.

Beijosss

P.S.: os drops da sua mana estao um primor - diz pra ela.
=)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...