domingo, 28 de fevereiro de 2010

Cartas de Alforrias Fluminenses: alguns casos interessantes entre 1830 e 1871


Organizado pela Maffalda e inspirado pelo Fred Guth, o Café 22 é um seminário que reúne pessoas interessadas em partilha de paixões. Sobre tecnologia, psicologia, criatividade ou experiências pessoais, as falas se desenvolvem em 15 minutos que abrem um leque de questões e admirações postos para rodar durante os coffe breaks e por toooda longa noite de lindeza etílica que se segue.

No encontro de ontem , falei um pouco sobre a pesquisa que desenvolvi durante a graduação na UERJ e que pretendo dar continuidade entre ler murs do IFCS; a minha paixão. Nos meus 15 minutos, partilhei algumas histórias curiosas, pertubadoras ou cômicas retiradas de um universo de mais de 17 mil cartas de alforria com que convivi nos últimos 4 anos. Curiosas ou perturbadoras (provocadoras também é uma boa palavra) porque nos dizem de cenários sobre a escravidão brasileira que ultrapassam bastante aqueles do senso comum, das novelas, das aulas da tia Carminha. O regime escravista, integrante nacional íntimo durante mais de trezentos anos, deixou mais do que um país dividido entre brancos e negros, bons e maus, deixou uma bizarra confusão de histórias interrompidas, negociações, trepadas e estratégias de sobrevivência. Certo, já estou alongando.

Fica aí em baixo a apresentação em Power Point que rolou ontem, uma versão melhorada porque repensei umas coisas e apliquei as dicas dadas pela Bia Quadros sobre uma boa apresentação com slides. Enxuguei umas informações e acrescentei outras que faltaram (como o significado da palavra "alforria", tem horas que as coisas fogem da cabeça). Acho que ficou mais bacana pra quem quiser usar em aulas, cursinhos, sei lá. Fiquem à vontade e escrevam se tiverem alguma dúvida.

Obrigada pela atenção, abertura e carinho. Eu não esperava tanto porque história era a melhor aula pra dormir.

Hasta, amigos!

CAFE 22 . APRESENTAÇÃO EM PPT "Cartas de Alforria flumin..." e video da fala


Um comentário:

Prof.ª Andréa Ilha disse...

Um desejo meu: um dia conhecer um pouco disso tudo que foi tua pesquisa, conhecer esses causos e esses casos de antigamente, saber essas cartas, esses passos. Uma alegria: ter te lido no Obvious num dia em que tão poucas coisas interessantes li na internet. Uma esperança: que muitos outros jovens tenham a curiosidade histórica que vai além daquilo o que passa na tv aberta... como tu.

Agradeço por tuas postagens. Precisamos de mais pessoas assim.
Parabéns.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...